segunda-feira, 13 de junho de 2016

Cleópatra

 
Um fanzine totalmente dedicado ao Cinema, através de filmes transformados em bandas desenhadas, como é o que acontece no "Cleópatra", é bastante invulgar - confesso que neste momento não me lembro de nenhum outro.
Mas nos fanzines tudo é possível, tudo é permitido - é uma das grandes qualidades deste tipo de magazines amadores.

E Tiago Baptista, seu editor e autor das respectivas bandas desenhadas - por conseguinte um faneditor, visto que se subdivide em ambas as tarefas -, apesar de muito jovem, tem visto muitos filmes, não sei se apenas por obrigação, mas neste caso dos que trata neste seu zine, foi exactamente por isso, porque trabalhou num cinema dum centro comercial das Caldas da Rainha.(*)

Em resultado dessa experiência, meio laboral, meio cultural, Tiago aproveitou para realizar quatro bandas desenhadas, cada uma delas dedicada a um filme e, de certa maneira, a um realizador - François Truffaut, Manoel de Oliveira, Andrei Tarkovski e Ingmar Bergman.


(*) Como diz Tiago Baptista no editorial: "(...) Um trabalho tão digno como qualquer outro, tão normal como qualquer outro, tão mal pago como qualquer outro, com um patrão tão sacana como qualquer outro(...)"



Cleópatra #5 
Subtítulo: "Oh meu Deus! É o fim do Cinema"
Data da edição: Dezembro 2010
Editor: Tiago Baptista
Formato do fanzine: A4 
Capa e contracapa, e miolo de 28 páginas 
Local da edição: Caldas da Rainha, Lisboa, Leiria
------------------------------------------------------------------------

Na primeira imagem que ilustra esta postagem está a capa do fanzine, onde se podem distinguir os rostos de quatro realizadores cinematográficos:

Andrei Tarkovski, Manoel de Oliveira, François Truffaut e Ingmar Bergman

************************************************************


Escreve o faneditor, com ironia e bom-humor na contracapa: "O fanzine com o nome mais parolo - Oh meu deus! é o fim dos fanzines".

Sem comentários: